VANIO COELHO

Para acessar os textos do livro "Vento Sul - Velho Vento Vagabundo", escolha uma das opções abaixo!

 
 
  • Vanio Coelho

A camisa do homem feliz

Conta a lenda que o Califa sofria de uma doença mortal, agravada por sua eterna casmurrice. Os marlins, os médicos, os curandeiros, todos eram unânimes em informar que somente fazendo o Califa feliz sua doença regrediria. Como fazê-lo? “Achem um homem feliz e comprem sua camisa; vistam-na no Califa e ele herdará a felicidade do homem feliz”. A lenda conclui que quando encontraram o homem feliz viram que era tão pobre que nem camisa tinha. Como não estou aqui para fazer proselitismo, nem tenho vocação para puxar qualquer desfile, que fica melhor com quem é porta-bandeira. Mas não pode, também, ficar imune ante a violência que adentra nossos lares, sob o risco de, daqui a pouco, não ter mais para quem escrever.


O querido maestro Tom Jobim disse certa vez que “morar em Nova York é bom mas é uma merda; morar no Rio é uma merda mas é bom”. A cruel morte daqueles meninos no interior de São Paulo, contudo, joga na primeira página, mais uma vez, os problemas da maioridade penal e da pena de morte. Sem medo de levar bordoada, vai lá a opinião da coluna:


1) as leis penais no Brasil são propostas por quem não vivencia os problemas, não anda a pé ou de ônibus/trem, mas possui porte de arma e carro com motorista. Portanto, não está exposto à violência como estão os restantes 99% da população.


2) esses vivem copiando os avanços verificados nos países sem problema social, como se o Brasil estivesse na Europa e não abaixo do Equador: como comparar o Brasil com uma Suíça, Dinamarca ou Suécia? Lá eles enfrentam uma guerra civil como nós?


3) ninguém defende a pena de morte como solução, mas como medida profilática: se você mata um cão raivoso, você não acabou com a hidrofobia, mas, certamente, aquele cão não vai mais transmitir doenças. Não se pode mais contemporizar, expondo a vida dos outros: quem reincidir, maior ou menor, deve-se aplicar todo o rigor das leis.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Vento Sul

Eis que surge o vento sul. Ataca por todos os lados, é frio, é grudento, é a prova de casaco, de lareira e de conhaque.

Eternamente Drumond

Alguns versos aqui publicados semana passada foram suficientes para que leitores atentos lembrasse que, vivo, Carlos Drumond de Andrade...

Muito além do rio

Aquelas arcadas eram suntuosas, mas nos pareciam assustadoras no primeiro dia da matrícula;

©2019 by Vanio Coelho. Todos os direitos reservados, de acordo com a legislação em vigor.