©2019 by Vanio Coelho. Todos os direitos reservados, de acordo com a legislação em vigor.

VENTO SUL

Velho Vento Vagabundo

"Vento Sul - Velho Vento Vagabundo" é um livro que reúne uma coletânea de artigos e reportagens produzidas pelo jornalista e advogado Vanio Coelho ao longo dos 50 anos de jornalismo.

São artigos para jornais diversos do Brasil e reportagens para estimados canais como a saudosa MANCHETE, a
revista FATOS & FOTOS e ELE & ELA.

Esse site foi criado para reunir a obra e deixá-la disponível abertamente. Para fazer a leitura dos textos é simples: veja abaixo o índice com todos os títulos, clique e seja redirecionado direto ao texto. Se preferir, clique em "Vento Sul - O livro" e em seguida acesse a página "Artigos & Reportagens" e faça a pesquisa por categoria. Boa leitura!

Leia aqui o artigo que inspirou os textos de Vanio

Caso deseje enviar uma mensagem ao autor, basta escrevê-la na aba "Contato".

VENTO SUL - VELHO VENTO VAGABUNDO

 

VENTO SUL

Índice de Artigos e Reportagens. Clique direto no título para ler o texto!

AS REPORTAGENS na MANCHETE e FATOS & FOTOS


1966, O ano dos ídolos jovens

A caça ao marido

A ficha do jogo

A grande ilusão

A mulher é jovem em qualquer idade?

A nova moral da mulher sozinha

BADEN POWELL - Meu Avô, mestre de Baden

CHACRINHA - O impossível acontece
Como ajudar o bebê a enfrentar o mundo

ELLIS REGINA - A Menina de Ouro

ELLIS REGINA - A Cara do Protesto

ELLIS REGINA - O Fino da Volta

JUCA CHAVES Eu sou uma piada
O homem que põe tigres no motor

O Minas aprende a voar

Os caçadores de nuvens

O vôo do Carcará

Qualquer profissão não serve

AS REPORTAGENS (jornais diversos)

Banco Central muda cenário econômico

Curitiba, um novo sorriso

Exército: armas contrabandeadas para o RS

Governador catarinense: não há separatismo

Miss Brasil em Curitiba I

Miss Brasil em Curitiba II

Miss diz cada uma

Nelson Hungria I

Nelson Hungria II

Trevas do analfabetismo - meca as iluminará?

Tubanharon deu Tubarão


Enciclopédia Bloch
Canhotos, a esquerda permitida

Revista ELE ELA

Começar de novo
Confesso que sobrevivi

ARTIGOS e NOTAS

A Aliança para o "Progresso" 

A árvore da discórdia

A camisa do homem feliz 

A coluna e a "farra"

A condição feminina

A geração perdida 

A herança

A ira dos tempos 

A manhã do dia seguinte 

A mão e a luva

A mão que afaga 

A morte de um boto 

A morte e a morte de Santos Dumont 

A mulher na minha cama 

A multidão solitária 

A obrigação de ser feliz 

A primeira vítima 

À procura

A promessa

A saída, onde fica a saída?

A sangue frio

A sociedade se defende 

A vingança do Barão 

Adeus à uma amiga descasada 

Ah, Vandré 

Ai de ti, Floripa 

Algemas partidas

Arriba, Dom Lula

As águas de março 

As ilusões perdidas 

As mensagens cifradas do amor 

As ovas, cadê as ovas? 

As rainhas

As rãs queriam ter um rei

As salsichas e as leis 

Assim não dá

Aves que aqui gorjeiam 

Bacia das almas 

Balaio de siris 

Caiu a ficha 

Carro à álcool 

Céu e inferno

Champanhe, por que bebê-lo? 

Chove chuva

Cinco destinos 

Concorrência, Sr. Prefeito 

Conseguimos ver

Crescimento que dói 

Dada a largada

De homens e heróis

De homens e ratos 

Democracia representativa 

Depois de mim, o dilúvio

Diga ao povo que fico

Dinheiro da viúva

Discos voadores 

Dois elefantes incomodam muita gente

E agora José?

El Comandante

Em cada coração um pecado 

Em nome do pai

Enquanto você dormia

Enterro das quimeras 

Éramos cinco

Eran cinco de la tarde 

Esperando Godot 

Eta povo tinhoso

Eternamente Drummond 

Eu cresci, o caminho perdi

Eu estava no ônibus 350 

Faz escuro mas eu canto 

Ferro em brasa 

Ferroviários

Funeral de cinzas  

Geração órfã 

Guerra dos Sexos

Identidade catarinense 

Invasores de corpos 

Julgamento de Doca Street 

Lágrimas ao vento

Lendas urbanas

Liberdade, liberdade 

Lula-la-lá 2010

Maltrapilhos e maltratados 

Manhattan é aqui 

Meu primeiro sonho 

Mudou o natal ou mudei eu? 

Na madrugada 

Na tonga da milonga do kabuletê 

Nasce uma nação

Navegar é preciso 

Neném Prancha e nós 

No país do faz-de-conta 

No remanso das horas

Noblesse oblige 

Nosso petróleo e a cobiça deles

Novos gigolôs

O "cara"

O 3º muro da vergonha 

O álcool da discórdia

O apreço não tem preço 

O boi da farra 

O carteiro mordeu o cão 

O caso do boimate

O cavaleiro da triste figura I 

O cavaleiro da triste figura II 

O céu como limite

O céu que nos protege 

O dilema de Hamlet 

O doente imaginário 

O etanol é nosso, o mundo é nosso 

O fio da navalha 

O homem irado 

O homem nu 

O índio que queria ser presidente 

O inimigo não manda flores 

O leão e o vento 

O mapa do coração 

O monstro que nos devora 

O pai esquece 

O petróleo é nosso 

O preço da democracia 

O preço da ilusão 

O quarto vazio

O que deu errado?

O que é isso, companheiro?  

O Rei e eu 

O Rei, seus amigos e o manezinho

O repouso do guerreiro 

O sol da meia noite 

O sol de cada manhã 

O sol por testemunha 

O tempo e o vento

O temporas, o mores!

O tesouro estava ali 

O triunfo da vontade 

O vento como herança 

O vento e a ostra

O verso e o reverso 

Okay, vocês venceram 

Oração aos moços

Os "Coices de Mula" 

Os herdeiros do vento 

Os idos de março

Os lobos nunca choram 

Os marajás

Os monoglotas e os trogloditas 

Os mortos e os (bem) vivos

Os ovos da serpente

Os ventos de maio 

Outro lado da verdade 

Padecendo no paraíso 

Pãe

Pai e filho

Pai herói

País de guetos?

Perigo Imediato 

Pescando em águas turvas 

Pescando Ilusões 

Pirataria 

Poder absoluto 

Poder e arrogância 

Polônia, Polônia 

Porque a vida é breve

Pra não dizer que não falei de flores

Punição

Quando voam as cegonhas 

Quantas divisões tem Heloisa Helena? 

Quantos amigos?

Que reforma é essa?

Quem malufica se trumbica 

Quosque tandem?

Rancho de desamor à ilha 

Rancor e delírio

Rato que ruge

Razão e preconceito

Recuperando a esperança

Remando no vento 

Retratos do artista sempre jovem 

Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come 

Semana inglesa 

Senado nosso que está no paraíso

Ser médico - A máfia de branco 

Sim, podemos!

Sobre brumas e duendes 

Socorro, vão roubar o teu voto 

Sofrendo no paraíso

Solidão também mata 

Sozinhas e felizes

Takanaka e Tucuruca

Terra de heróis? 

Todos os homens do Presidente 

Tomates verdes fritos 

Tratado de Não-Agressão 

Tu és um homem, meu filho 

Turismo acidental

Um tiro pela culatra 

Uma morte anunciada 

Vai, meu filho, ser gauche na vida

Vamos desligar a TV? 

Verde rama 

Viver na Belíndia

Voto à venda 

Vou-me embora pra Pasárgada 

Zumblick e a visão do futuro