©2019 by Vanio Coelho. Todos os direitos reservados, de acordo com a legislação em vigor.

VANIO COELHO

Para acessar os textos do livro "Vento Sul - Velho Vento Vagabundo", escolha uma das opções abaixo!

 
 
  • Vanio Coelho

Diga ao povo que eu fico

A idéia de um terceiro mandato consecutivo para Lula volta a circular em Brasília. O PSDB e o DEM tentam criar barreiras contra a reforma constitucional. O PT, em convenção, decide ser contrário a um terceiro mandato. Mas com José Dirceu e Antonio Palocci fora da competição, por excesso de esperteza, o partido está sem forte candidato à sucessão. Em 1992, com medo da então "garantida" eleição de Lula, reduziu-se o mandato para quatro anos. Em 1996, novamente com medo do "imbatível" Lula, criou-se a reeleição para FHC. Os argumentos renascem agora, só que para eternizar Lula. O presidente disse que, "falando do coração, acho uma bobagem e uma falta de assunto da oposição ficar discutindo o terceiro mandato". Ok, mas projeto para isso está prontinho para ser protocolado na Câmara, mesmo que 65% da população seja contrária.

Duvidar da sinceridade de Lula seria lutar contra a notícia. Alterar a Constituição custaria enorme preço em termos de cargos e favores, pois são necessários dois terços dos votos. Não é mais tático candidatar-se em 2014 e dizer que tinha força política para continuar no cargo, mas recusou? Lula não é da nobreza, embora dotado de uma esperteza de gênio. Mas não custa lembrar Dom Pedro, nosso primeiro imperador, que, insuflado e adulado, bradou, naquele 9 de janeiro de 1822: "Se é para o bem de todos e felicidade geral da nação, estou pronto! Digam ao povo que fico."

Se o imperador não resistiu aos apelos, nosso operário-padrão o fará? Por isso, melhor ficar com um olho na missa e outro no padre.

NOTA escrita para coluna Cacau Menezes - Diário Catarinense - Florianópolis/SC

1 visualização