VANIO COELHO

Para acessar os textos do livro "Vento Sul - Velho Vento Vagabundo", escolha uma das opções abaixo!

 
 
  • Vanio Coelho

O quarto vazio

O tiro que ecoou naquela madrugada em Ipanema, no Rio, não tirou apenas a vida do jovem Daniel Duque. O PM Marcos Pereira do Carmo, quando dava segurança a Pedro Adnet Velasco, filho da promotora carioca Márcia Velasco, destruiu o sonho, os ideais, as perspectivas, as promessas, as esperanças da mãe e, mais que isso, foi um tiro no coração de todo pai. Quem tem filho sabe não estar imune à tragédia semelhante, mesmo quem não sai à noite e não feste, pois até na escola um tiro pode vir de qualquer direção. “Esta é a única dor que não passa", dizem aqueles pais que enterram os filhos. O sofrimento é tamanho que chega a abreviar a existência dos pais, tão devastador é o ato que contraria a lei da vida: são os filhos que devem enterrar os pais, não o contrário.


Ainda que raramente, às vezes é a verdadeira vida, sem metáfora alguma, que leva os filhos antes dos pais, deixando nestes a realidade do quarto vazio, o quarto do filho que lhes foi tirado. Não se trata da síndrome do ninho vazio – aquela incerteza, aquela insegurança que atormenta as mães cujos filhos bateram asas deixando-a sem ocupação, sem preocupação, sem ter a quem distribuir carinho e atenção, pois, nestes casos, mesmos distantes eles estão em algum lugar. Triste é ver o quarto do filho, seus objetos, suas lembranças, sua desarrumação, sem luz e sem calor


Imagine-se indo ao necrotério e ver o corpo querido do filho estraçalhado, o crânio esfacelado, rosto desfigurado, as marcas dos tiros e da violência gratuita. E descobrir que perder um filho é morrer em vida.


NOTA escrita para coluna Cacau Menezes - Diário Catarinense - Florianópolis/SC

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Vento Sul

Eis que surge o vento sul. Ataca por todos os lados, é frio, é grudento, é a prova de casaco, de lareira e de conhaque.

Eternamente Drumond

Alguns versos aqui publicados semana passada foram suficientes para que leitores atentos lembrasse que, vivo, Carlos Drumond de Andrade...

Muito além do rio

Aquelas arcadas eram suntuosas, mas nos pareciam assustadoras no primeiro dia da matrícula;

©2019 by Vanio Coelho. Todos os direitos reservados, de acordo com a legislação em vigor.