VANIO COELHO

Para acessar os textos do livro "Vento Sul - Velho Vento Vagabundo", escolha uma das opções abaixo!

 
 
  • Vanio Coelho

O Rei e eu 

(Cópia de e-mail enviado ao escritor Paulo Sergio de Araújo a propósito da apreensão de seu livro ROBERTO CARLOS EM DETALHES).


Florianópolis (Ilha da Magia), 17 de junho de 2007


Sr. Paulo Sergio de Araújo Estou na pág. 400 de sua biografia de Roberto Carlos. Pensava antes lhe enviar uma informação sobre RC que não consta do livro, mas, com a proibição total de reimpressão, a sugestão se torna preclusa (seguinte: em 1965 eu era repórter da Manchete e fui procurado por uma foto-atriz, cujo nome não me lembro. Ela tinha sido protagonista, junto com Roberto Carlos, numa fotonovela de Amaral Gurgel para uma revista dos Bloch. A fotoatriz queria faturar parte do sucesso de RC., mas Roberto não concordou, naquele momento – nós o surpreendemos na gravadora, no meio de uma gravação. Ele até concordaria, mas não naquele momento pois não estaria “devidamente vestido”. Não sei se a reportagem chegou a ser feita. Mas o que eu queria registrar era o fato de Roberto Carlos, nos inícios dos anos 60, também FOI FOTO-ATOR, fato que escapa de sua meticulosa pesquisa. A Bloch não existe mais, a revista nem me lembro do nome mas o Arnaldinho Neskier está aí no Rio e poderá lhe ajudar a localizar a rara revista). Assim, a finalidade deste e-mail é outra: o que mais me interessou, no seu livro, foi a história do nascimento das músicas sucessos de RC. Veja, por exemplo, OUTRA VEZ, de Isolda. Sempre adorei a música. Agora, sabendo sua história, gosto mais ainda. Detalhe: lá pelos anos 80 eu tinha conseguido gravar em “tape” a música da Isolda, cantando em português por um italiano que eu acreditava ser Sergio Endrigo; tal fita me foi furtada e nunca mais a ouvi. Graças a seu livro vi que o cantor não era Endrigo, mas Peppino di Capri. Continuo sem ter acesso àquela versão (parece que agora ele canta em italiano – Ancora con te), mas venho procurando na internet. Eis aí, bicho, a chave para reabrir esse “imbróglio”: mude a direção de seu livro. Ele é importante demais para ficar na gaveta: transforme-o na “biografia das canções de Roberto Carlos”! Algo como “As canções que fiz para você”. Reconte a história de cada sucesso, publique a letra na íntegra e seu trabalho não estará perdido, pois ele é importante demais. E aí, quem sabe – sonhar é preciso – o próprio RC o contrate para fazer a biografia autorizada? Pense nisso.


Um abraço do Vanio Coelho (jornalista aposentado)

0 visualização

©2019 by Vanio Coelho. Todos os direitos reservados, de acordo com a legislação em vigor.